As principais características e particularidades do único elemento dentário do cavalo semelhante ao dente humano: o Dente de Lobo. Pode parecer uma abordagem simples e corriqueira para os colegas que atuam na área da odontologia eqüina, mas posso afirmar que o caso descrito foi a exodontia de Dente de Lobo mais difícil que já me deparei.

O Dente de Lobo se assemelha ao dente humano devido ao fato de não possuir coroa de reserva, sendo composto apenas por coroa e raíz (dente braquiodonte). É o primeiro pré-molar do equino (Triadan 05). A maioria dos dentes de lobo não causa problemas aos cavalos e podem ser perdidos durante a muda e erupção do segundo pré-molar permanente aos 30 meses de idade. Eles normalmente erupcionam imediatamente mesial ao segundo pré-molar (Triadan 06) (Figura 1A), mas também podem estar na posição palatina (Figura 1B), bucal, lingual (Figura 1C), ou a cerca de 1 a 02 cm de distância rostralmente ao dente 06 (Figura 1D). Ainda existem situações em que estão inclusos, sem irromper a gengiva (Figura 1D). Quanto ao tamanho e formato, podem variar desde 02 mm até cerca de 3,5 cm, com formato espicular ou circular e, em casos raros, podem apresentar até um formato molariforme (Figura 2).

Figura 1: Dente de Lobo. A: posicionamento imediatamente mesial ao segundo pré-molar. B: posição palatina. C: posição lingual (seta preta). D: posicionamento 1 a 2 cm mesial ao segundo pré-molar (seta vermelha) e dente incluso (círculo vermelho).

Figura 2: Variados formatos dos Dentes de Lobo

Não são todos os animais que possuem dente de lobo (incidência varia de 40 a 80%) e a maioria apresenta apenas os maxilares. São raros os casos de animais que apresentam os 04 dentes de lobo (maxilares e mandibulares) ou mesmo um elemento dentário supranumerário (Figura 3).

Figura 3: Dente de Lobo supranumerário localizado na hemiarcada

4.

O Dente de Lobo é um dente rudimentar que não possui função na biomecânica da mastigação; além disso, muitas vezes pode causar incômodo em cavalos equitados. Alguns Dentes de Lobo são responsáveis por causar desconforto (dor) ao animal quando a mucosa vestibular é pressionada pela embocadura contra o bordo do dente; são eles: Dente de lobo com mobilidade, deslocados, com tamanho aberrante, fraturados, inclusos e mandibulares.

Nos casos em que a exodontia do Dente de Lobo é indicada, ela deve ser realizada com o animal sob tranquilização em estação, com anestesia local e com a colocação do espéculo oral.

Normalmente são realizados dois pontos de anestesia local: um na ruga palatina ao lado do dente e outro na prega mucogengival, vestibular ao dente de lobo.

No procedimento, a gengiva é elevada ao redor de toda a circunferência do dente, com o auxílio de um elevador gengival reto, até a

inteira sindesmotomia. Quando ele estiver bem solto e com bastante mobilidade ele é tracionado e removido do alvéolo com o auxílio do fórceps.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta